Valentim Francisco de Freitas Neto é o ex-secretário de educação de Quixadá que aparece em vídeo entregue à Polícia Civil e ao Ministério Público do Ceará contando maços de dinheiro, supostamente de propina paga ao ex-prefeito João Hudson, o João da Sapataria, ainda no ano de 2013.

Valentim Francisco de Freitas Neto aparece ao lado de Denis Fernando contando maços de dinheiro, supostamente de propina.

O material foi cedido às autoridades pelo empresário Igor Cristino Azevedo Cavalcante, ex-sócio da Construtora São Januário LTDA-ME, responsável pela coleta e destinação do lixo nesta cidade nos anos de 2013 a 2016. Ele confessou participação numa organização criminosa que teria mantido um esquema de corrupção durante 44 meses na administração do ex-prefeito João Hudson.

Valentim de Freitas era o chefe da pasta da educação em Quixadá quando o vídeo foi gravado. Ele conta o dinheiro junto com o então chefe do setor de compras da prefeitura, Dênis Fernando. O vídeo data de poucas semanas antes da realização da Operação Miragem I, que resultou na prisão do ex-prefeito João e no afastamento de todos os seus secretários. Valentim era um deles.

O Ministério Público chegou, na época, a pedir a prisão de Valentim de Freitas. Ele estava sendo acusado de manipular provas e de interferir na investigação de um esquema que teria dado um prejuízo de mais de R$ 15 milhões aos cofres de Quixadá apenas nos primeiros seis meses da gestão João da Sapataria.

A investigação do Ministério Público apontava que os ex-secretários formavam uma quadrilha que estava rapinando o município de Quixadá. Eles eram suspeitos de praticar crimes de peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, fraude a licitação, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Valentim de Freitas teve, em julho de 2013, pedido de prisão preventiva decretada pela juíza Danielle Estevam Albuquerque.

Quase um ano depois, o Ministério Público concluiu as investigações da Operação Miragem e denunciou 25 pessoas à justiça, dentre elas Valentim de Freitas. O processo ainda tramita nas instâncias superiores do Poder Judiciário. As novas informações, que incluem documentos e vídeos, devem pesar contra Valentim.

Curiosamente, no final de novembro deste ano circulou nos bastidores da política quixadaense que Valentim de Freitas era o nome que a ala do ex-prefeito João Hudson estava trabalhando para indicar como secretário de educação a um dos pré-candidatos a prefeito para as eleições de 2020. Em troca, haveria o apoio político. Não é segredo que muitos ex-gestores da era João da Sapataria veem no médico Ricardo Silveira uma chance de retornar ao comando da máquina pública quixadaense.

Coincidência ou não, as mídias ligadas ao médico bolsonarista não deram nenhum destaque às denúncias do empresário Igor Cristino contra João da Sapataria e integrantes de sua administração.

GARRAS DO PASSADO
PARTE 1: Empresário confessa ao MP-CE propina de R$ 100 mil à campanha de João da Sapataria em 2012
PARTE 2: João da Sapataria recebia propina mensal de R$ 50 mil, diz empresário delator
PARTE 3: “PT não”, “PT nunca”, dizia homem em Quixadá que aparece em vídeo contando dinheiro de propina – Diário de Quixadá


Site desenvolvido por Agência Clig