Marcílio Jorge da Silva Cavalcante, 39 anos, conhecido como Marcílio Voa Dois,  e Marillianny Patrício Nobre, 30 anos, foram presos na manhã desta quinta-feira, 25, em Quixadá, na segunda fase da “Operação Ostentação”, realizada pela Polícia Civil. Foram presos também Jone Kello da Silveira Lemos, de 29 anos, e Osmildo Pereira Brito Neto, de 27 anos.  Todos são acusados de estelionato e associação criminosa.

Marcílio Voa Dois, preso em sua casa na manhã desta quinta-feira, 25, pela Polícia Civil. (FOTO: Alex Pimentel/Diário Do Nordeste)

Conduziram esta segunda fase da ação policial os delegados de Quixadá, Marcus Vinicius Damasceno, de Quixeramobim, André Firmino, e de Banabuiú, Cláudio Martins. As prisões foram efetuadas simultaneamente nas primeiras horas da manhã.

O nome com o qual a polícia batizou a operação faz referência ao estilo de vida luxuoso levado pelo casal Marcílio Voa Dois e Marillianny. Suspeita-se que eles faturavam com os golpes mais de R$ 1 milhão por ano. As investigações apontam que os estelionatários agiam desde o ano de 2010 e conseguiram acumular patrimônio vultuoso. Conforme revelações feitas pelo Diário do Nordeste, num único golpe aplicado contra uma aposentada do Rio de Janeiro, no ano de 2014, o casal faturou a bagatela de R$ 460 mil.

Casa de Marcílio Voa Dois em Quixadá, preso na manhã desta quinta-feira, 25, pela Polícia Civil. (FOTO: Alex Pimentel/Diário Do Nordeste)

Cofres secretos foram encontrados na mansão de Marcílio Voa Dois com vários talões de cheques dentro. Na garagem do imóvel estavam uma Hilux SW4, um Fiat Punto, um HB20 da Hyundai e uma motocicleta Honda Biz. Todos os veículos foram apreendidos, juntamente com jóias, relógios e talões de cheque encontrados na residência. O casal alegou que os bens estavam declarados no Imposto de Renda.

Marcílio Jorge da Silva Cavalcante, 39 anos, conhecido como Marcílio Voa Dois, e Marillianny Patrício Nobre, 30 anos, foram presos na manhã desta quinta-feira, 25, em Quixadá.

A Polícia Civil conseguiu ainda o sequestro de bens (que tem por finalidade apreender o bem do devedor do qual pende litígio) do grupo, como uma casa de luxo localizada no bairro Curicaca. “O grupo aparecia na cidade como empresários bem sucedidos, quando na realidade estavam enriquecendo de forma ilícita. Passamos a investigá-los e estamos desarticulando todo o esquema”, afirmou o Delegado Marcus Damasceno.

Para a polícia, Osmildo servia como “laçador” buscando arregimentar “laranjas” para emprestar contas bancárias para a movimentação criminosa. Um desses laranjas seria Jone Kello.

Jone Kello da Silveira Lemos, de 29 anos, e Osmildo Pereira Brito Neto, de 27 anos.

A notícia das prisões foi o assunto mais comentado em Quixadá durante todo o dia. Marcílio Voa Dois é bastante conhecido na cidade e é querido por muitas pessoas, sendo tido como um homem simpático, alegre e generoso com os amigos. Colocado no centro da Operação Ostentação como suspeito de ser o cabeça, ao lado de sua esposa, do sofisticado esquema criminoso, Marcílio Voa Dois vê agora a vida mudar completamente. Nas palavras de uma fonte ligada à investigação, “ele saiu algemado, sob graves acusações, do seu castelo de areia.”

OPERAÇÃO OSTENTAÇÃO: FASE 1

Nos últimos dias 16 e 17, a Polícia Civil iniciou a desarticulação de uma associação criminosa responsável por aplicar golpes milionários em agências bancárias. O grupo criminoso era composto por cinco integrantes. De acordo com o delegado Marcus Vinícius, que presidiu o inquérito policial, os levantamentos apontam que os homens conseguiam aproximadamente um milhão e meio, por ano, com os golpes aplicados. Um dos envolvidos, conhecido como Rafael Galinha, ostentava uma vida de luxo, com carros, viagens e voos de helicóptero, nas redes sociais.

No último dia 16, foram capturados Rafael Rodrigues Pereira , 28 anos – com antecedente criminal por estelionato; e Marcos Antônio da Silva Júnior, 23 anos, – sem antecedentes – que atuavam como “laranjas” no esquema criminoso. A dupla foi localizada no interior agência da Caixa Econômica, situada no Centro de Quixadá, quando se preparavam para sacar valores oriundos dos golpes. Nos veículos utilizados pela dupla para se deslocar até o banco, os policiais apreenderam mais de seis mil reais.

Já no dia 17, a Polícia capturou Rafael Ferreira Vieira (23) – o “Rafael Galinha”,  este com passagem pela Polícia por contravenção penal.


Site desenvolvido por Agência Clig