Assalto a pacientes que realizavam hemodiálise atenta contra a humanidade da sociedade quixadaense

O homem que você vê na foto acima é um bandido sem limites de crueldade e precisa ser preso o mais rápido possível. Na tarde do último sábado, 11, ele cometeu um crime que atenta contra a dignidade do município de Quixadá, no Sertão Central, e contra a humanidade dos seus habitantes.

O indivíduo, armado com o que parece ser um revólver, invadiu uma clínica e assaltou duas pacientes enquanto estas realizavam procedimento de hemodiálise no Centro da cidade, uma ousadia característica do pior tipo de psicopata.

É sabido que pessoas que realizam hemodiálise estão, em geral, em situação física extremamente frágil. Sua batalha pela vida, tendo que se submeter a um tratamento desgastante periodicamente, as coloca num patamar de pessoas que deveriam ser imunes à crueldades deste tipo. É indigno do ser humano atacar pacientes frágeis durante atendimento.

Embora a situação não seja a mesma, atacar hospitais ou centros de atendimento, mesmo durante conflitos armados, é caracterizado como “crime de guerra”, tão incrivelmente violento que é o fato de não respeitar a dor de quem, por vezes, está em seu período final de vida. Isto é reconhecido por todos os tratados internacionais que abordam o tema.

As forças de segurança em Quixadá devem focar nos trabalhos de investigação e buscas por este bandido sem consideração pelas fragilidades alheias. Quixadá não pode engolir este tipo de crime como uma ocorrência comum e exige respostas. Nem mesmo criminosos deveriam tolerar ações deste tipo, pois quando o limite do respeito à dignidade humana é ultrapassado de um lado, não demora para que seja ultrapassado do outro. E aí a sociedade sai do terreno comum da civilidade, e isto não pode produzir coisa boa.


Site desenvolvido por Agência Clig