Lula e Moro.

“O chefe da Lava Jato não era ninguém mais, ninguém menos do que Moro. O Dallagnol, está provado, é um bobinho. É um bobinho. Quem operava a Lava Jato era o Moro”, disse o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, à revista Época. “Eu acho, por exemplo, que, na condenação do Lula, eles anularam a condenação”.

“Mendes viu até a prática de um crime nas conversas vazadas. ‘Um diz que, para levar uma pessoa para depor, eles iriam simular uma denúncia anônima. Aí o Moro diz: ‘Formaliza isso’. Isso é crime”, avaliou Mendes, referindo-se a um trecho das mensagens em que Dallagnol escreveu que faria uma intimação oficial com base em notícia apócrifa, diante da negativa de uma fonte do MPF de falar. “Simular uma denúncia não é só uma falta ética, isso é crime”, conclui Gilmar.

Jornalista americano, Glenn Greenwald, já disse que as revelações que estão para sair são ainda mais devastadoras para a imagem de Moro do que as primeiras, que mostraram ele em conluio com Deltan Dallagnol para condenar Lula.


Site desenvolvido por Agência Clig