Ministra Damares ao lado de Jair Bolsonaro e Michele Bolsonaro.

O governo de Jair Bolsonaro incluiu um novo plano nas políticas adotadas para prevenção de gravidez precoce e sexo seguro entre adolescentes. Os ministérios da Mulher, Família e Direitos Humanos (MDH) e da Saúde elaboraram políticas para estimular jovens a deixarem de fazer sexo.

Liderado pela ministra Damares Alves, o MDH passou a preparar eventos públicos para promover a abstinência sexual. O pretexto utilizado é o de discutir iniciativas voltadas à prevenção da gravidez na adolescência.

Um evento sobre gravidez precoce realizado em dezembro em um auditório da Câmara dos Deputados convidou apenas defensores da abstinência sexual. O público era essencialmente religioso. Na entrada do auditório, dois cartazes criticavam o uso da camisinha como método de prevenção e afirmavam — sem qualquer respaldo científico — que poros no preservativo permitem a passagem do vírus HIV. Os responsáveis pelo evento negaram ter qualquer responsabilidade sobre os cartazes ou endossar o conteúdo ali expresso. Um padre recolheu o material ao fim do evento.


Site desenvolvido por Agência Clig