Avenida Plácido Castelo, após desordem provocada por grupo de vândalos.

Durante a madrugada deste domingo, 17, vândalos causaram destruição e desordem no Centro de Quixadá. Segundo informações de populares que presenciaram a vagabundagem, tudo começou quando um baile não aconteceu e parte do público saiu destruindo o que via pela frente.

Barraca na Praça José de Barros teve fachada e telhado destruídos por vândalos.

O grupo destruiu placas de trânsito, cestos de lixo e vidraças de casas. Os integrantes jogaram pedras nos telhados e até desligaram a energia de várias residências. Uma banca localizada na Praça José de Barros foi atacada e teve fachada e telhado destruídos. A baderna assustou moradores e quem estava na rua.

Em contato com o Diário de Quixadá, integrantes do Conselho Tutelar relataram que, ainda na manhã de sábado, receberam denúncias de que crianças e adolescentes participariam da chamada “Festa do Beijo” onde, de acordo com as denúncias, haveria bebida alcoólica e drogas à disposição.

Interior do Clube após festa ter sido encerrada.

Ao fiscalizar a festa durante a noite, o conselho tutelar – com apoio da Polícia Militar -, disse ter ficado chocado com as cenas vistas. “A festa era regada a álcool e drogas. Não havia alvará para funcionamento e nem autorização judicial para o ingresso de crianças e adolescentes desacompanhadas dos pais”, disse um conselheiro. “Não havia como individualizar as condutas e a medida mais apropriada a ser tomada diante da situação (de absoluta falta de controle e ausência de qualquer autorização por parte do poder público), foi determinar o encerramento do evento”, completou.

O Conselho Tutelar de Quixadá assegura que o clube receberá uma advertência e que a situação verificada será encaminhada para o Ministério Público Estadual. Garante, também, que outros eventos famosos na cidade por aceitarem a presença de menores serão fiscalizados com o rigor necessário.

Já o Superintendente do Departamento Municipal de Trânsito, Higo Carlos, afirmou: “Estamos preparando ações de fiscalização, Polícia Militar, guarda e DMT, inclusive com bafômetro. Foco também para som alto e moto com descarga alterada.”


Site desenvolvido por Agência Clig