Quixadá tem aumento de movimentação nas ruas após declarações de Bolsonaro minimizando coronavírus.

A população de Quixadá, no Sertão Central, está colaborando bem com as determinações do Governo do Estado e do Governo Municipal, com relação à necessidade de isolamento social. A maior parte do comércio fechou as portas e as pessoas estão em casa na maior parte do tempo.

Há vários casos de desobediência aos decretos governamentais. Algumas igrejas, por exemplo, continuam realizando cultos públicos e aglomerando pessoas em espaços pequenos e fechados. Outros desafiam o vírus e continuam se reunindo nas calçadas, pior ainda, com muitos idosos fazendo isso.

Mas de modo geral tem sido grande a colaboração popular, o que fica claro quando se observa a movimentação principalmente no centro da cidade. No entanto, desde que o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em cadeia de rádio e televisão para todo o país, no qual ele minimizou o coronavírus, chamando-o de “gripezinha” e “resfriadinho”, um segmento da população baixou a guarda.

Quixadá tem aumento de movimentação nas ruas após declarações de Bolsonaro minimizando coronavírus.

Nesta quinta-feira, 26, internautas publicaram várias fotos nas redes sociais mostrando um aumento significativo na movimentação nas ruas. A Agência de Fiscalização de Quixadá (Agefisq) continua atuando de 6 horas até meia noite, mas ainda não tem sido suficiente para convencer a todos. A Guarda Municipal também mantém seus serviços. Todos colaboram com a Polícia Militar e a Polícia Civil, mas ainda existe necessidade de mais conscientização.

Em 2018, 13.272 eleitores quixadaenses votaram em Bolsonaro no segundo turno. Assim, há uma significativa quantidade de pessoas que acreditam, provavelmente, no que o presidente diz, embora ele contradiga a Organização Mundial da Saúde, os médicos, o próprio Ministério da Saúde e os cientistas do mundo inteiro.

Nesta quarta-feira, o Bispo de Quixadá, Dom Ângelo Pignoli, pediu aos quixadaenses que “colaborem com as autoridades de saúde no combate à proliferação do coronavírus”.


Site desenvolvido por Agência Clig