Mulheres relatam constrangimento com pressão política durante consultas com médico candidato em Quixadá.

Mulheres em Quixadá começaram a relatar situações de grande constrangimento ao realizarem consultas com o médico Gutemberg Marques Correia, de 54 anos.

Um dos relatos é da jovem Rayssa Oliveira (23). Ela conta que, nesta semana, realizou consulta com o profissional e revela o que aconteceu durante o atendimento: “Fui lá apenas para realizar um exame, no início ele foi super simpático comigo, mas logo em seguida já começou a falar em política.”

Doutor Gutemberg, como é mais conhecido, é candidato a vereador nas eleições de 2020 pelo PSD, partido do também médico e candidato a prefeito, Ricardo Silveira.

Rayssa prossegue: “[Ele] me deixou super sem graça quando utilizou palavras de baixo calão para se referir ao Ilário, Rachel e Lula. Era nítido meu desconforto.” A jovem ainda diz que, “mesmo após lembrar a ele que cada um tem sua opinião e que a gente é livre para fazer nossas escolhas, ele ainda assim não parou de falar e não queria aceitar que eu não apoiasse o candidato dele.”

Mulheres relatam constrangimento com pressão política durante consultas com médico candidato em Quixadá.

“Muito triste ver profissionais agindo dessa forma, deixando o profissionalismo de lado e constrangendo seus pacientes que não apoiam seu candidato”, desabafa a jovem.

Mais mulheres comentaram o relato de Rayssa revelando outros episódios com comportamento semelhante. Nety Sales, por exemplo, diz que também sofreu o mesmo tipo constrangimento por parte do profissional, mas nas eleições de 2016. Ela conta: “Eu tbm passei pela mesma situação, com o mesmo médico nas eleições passadas, quando fui realizar meu exame admissional. Só que pela ironia do destino ele me falava super mal do candidato que ele apoia hoje em dia.”

Mulheres relatam constrangimento com pressão política durante consultas com médico candidato em Quixadá.

“Isso é inadmissível. Unidade de saúde nenhuma, sendo ela pública ou particular, é lugar de fazer politicagem, ainda mais da forma que eles querem fazer! É uma situação muito triste e constrangedora! E as pessoas precisam sim tomar conhecimento destes acontecimentos para assim ter a plena convicção de que isso não pode de forma alguma acontecer e que ninguém é obrigado a aceitar”, conclui Rayssa ao comentar as observações feitas por outras mulheres.

Doutor Gutemberg também foi candidato a vereador em 2016. Naquela ocasião, ao concorrer pelo PPS, declarou patrimônio de R$ 413.308,87. Em 2020, o sistema de registro de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que o candidato não declarou a existência de qualquer patrimônio em seu nome.

Esclarecimentos sobre os relatos nesta matéria ou depoimentos semelhantes podem ser enviados para o email diariodequixada@gmail.com.


Site desenvolvido por Agência Clig