André Fernandes. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Nesta quinta-feira, 08, surgiram as primeiras informações de que o youtuber cearense André Fernandes, 20, pretende se candidatar a Deputado Estadual pelo PSL. O jornal O Povo foi o veículo que revelou as pretensões do garotão.

André Fernandes tem se destacado na internet por suas falas imbecilizantes e com viés de autoritarismo. Ele possui um canal no Facebook com mais de um milhão de seguidores. Ali, o jovem se dedica a asnices de todo tipo e, não raro, investe em manifestações que podem facilmente ser descritas como preconceituosas por alguns de seus alvos preferidos. Por exemplo, lançou recentemente enquete comparando gays a ratos.

O neófito na política apoia Jair Bolsonaro e vê no Deputado Federal carioca as qualidades necessárias para “salvar” o país.

No parlamento cearense, André seria o legítimo representante do que o escritor e intelectual italiano Umberto Eco chamou de “legiões de imbecis”, gente dada a pensamentos rasos e a primitivismos ideológicos.

Em Quixadá, durante encontro fracassado em apoio a Bolsonaro, no domingo, 04, André disse que os vagabundos se acostumaram com o Bolsa Família, revelando sua capacidade de ser ferino com a língua. Chama gays de “viados”, é contra o aborto, a favor da liberação do porte de armas e se diz defensor do que define como “família tradicional”. É claro que a voz do rapaz encontra apoio nas redes sociais e sua candidatura tem chances reais de ser bem sucedida.

Como disse Humberto Eco: “O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade.” A “verdade” de André Fernandes, que nada mais é do que um aproveitamento oportunista deste acúmulo gradual de ‘idiotice com voz’, encontra ressonância.

No parlamento cearense, André seria oposição a um provável Camilo Santana reeleito, a quem chama de “frouxo” só para agradar aos insatisfeitos com o crescimento do poder das facções criminosas no Estado. A Polícia Militar, porém, parece ter outra opinião sobre Camilo, talvez o governador que mais fez pela gloriosa corporação.

O provável candidato a Deputado Estadual não tem na bagagem muito conteúdo para oferecer ao Ceará, a não ser um discurso retrógrado e preconceituoso e a capacidade de atiçar primitivismos em seus incautos seguidores. Foge de debates, como fez ao recusar aquele proposto pela jornalista Patrícia Lélis, chamando-a de “doidinha”. O episódio serviu para mostrar que ele seria uma espécie de “Bolsonaro cearense”, um parlamentar com muita zoada para fazer, contudo, sem a capacidade de diálogo com as diferenças que é tão fundamental aos legisladores. André é um segmentado, como Bolsonaro, e espera tirar proveito político disto, assim como sua inspiração carioca já faz há pelo menos três décadas.

Antes de encontrar o nicho do radicalismo político na internet, André tentou o ramo do humor. Publicava vídeos para fazer o público rir. Num deles, ensinou aos internautas como “raspar o caneco”, para usar uma linguagem popular. Não deu certo. Mal sabia que a maior piada de todas ainda estava por vir. Uma que ele e o PSL estão levando a sério e que tem potencial para agradar um segmento cada vez mais crescente na internet: o dos “imbecis”, para citar de novo Humberto Eco. Engraçada como seja, a piada é legítima e tem todo o direito de tentar sair da internet para ocupar uma das cadeiras na Assembleia Legislativa.

EDITORIAL


Site desenvolvido por Agência Clig