“Sei o que você está passando, Ilário. Conte comigo”, disse Camilo durante visita a Quixadá

O governador Camilo Santana esteve em Quixadá nesta sexta-feira, 07, para inaugurar a Areninha, equipamento que ficará sob a administração da Secretaria de Esporte e Juventude do município. Na ocasião assinou ordem de serviço para construção da rodovia que liga a sede de Quixadá ao distrito de Dom Maurício. A obra de mais de R$ 14 milhões terá grande impacto no dia a dia dos cidadãos e tem potencial para grande aproveitamento na área do turismo.

Para além dos anúncios de obras e serviços que estão sendo trabalhados para sair do papel, a visita de Camilo e seu discurso contundente também tiveram sua simbologia política. Num momento em que Ilário Marques se vê traído por seu vice-prefeito, João Paulo de Menezes Furtado, que aproveitou seu governo interino de 97 dias em 2018 para produzir uma agenda de oposição ao grupo de Ilário e Osmar, o governador deixou claro seu apoio a aliança entre Ilário e Osmar, aliança que ele mesmo ajudou a construir em 2016.

“Sei o que você está passando, Ilário”, disse Camilo. E acrescentou: “Conte comigo, conte com o governador para trabalharmos juntos por Quixadá.” Neste contexto, renovou sua intenção de instalar no município uma base do corpo de bombeiros, cuja licitação deve sair ainda em junho, de construir as estradas estratégicas para Dom Maurício e para o Custódio, o asfaltamento até o santuário e a revitalização do centro da cidade. Além do aspecto prático da fala, o discurso do governador serviu para mostrar a todos que, em Quixadá, é com Ilário que ele quer trabalhar.

João Paulo, que tinha anunciado a presença do governador em Quixadá em sua conta no Facebook, não apareceu no evento. É possível que fosse vaiado se tivesse ido, já que ele tem marcado posição ao lado dos apoiadores de Bolsonaro no Ceará que fazem oposição ao governo Camilo. Sem norte político, sem ideologia perceptível e sem chão para pisar, chão chamado confiança e companheirismo, tendo se mostrado instável como aliado e como amigo de quem o ajudou em 2016, o vice-prefeito parece ter se anulado como opção política na Terra dos Monólitos, consequência de ter dado ouvidos a quem não devia e de ter cedido à tentação do poder.

A coesão do grupo político liderado por Ilário e Osmar também ficou clara na fala do próprio Osmar. Como de costume, não alisou a oposição e assegurou: “Com esse tipo de política que eles fazem, vão chegar em 2020 sozinhos e vão perder de novo.”

A expectativa da população de Quixadá em cima das promessas de Camilo é grande. O governador relembrou conquistas como a instalação do Raio e do Ciopaer, assim como da delegacia 24 horas. Quixadá, porém, até mesmo por ter passado muitos anos sem obras estruturantes, anseia por algo de grandes proporções. O povo sabe que, sozinha, a prefeitura não possui envergadura financeira para fazer as grandes transformações. A revitalização do centro da cidade, a construção das rodovias para os distritos, a chegada do corpo de bombeiros e a conclusão da praça Mais Infância, assim como parcerias para recuperação dos prédios públicos a serviço da saúde, são projetos que só podem se concretizar com a parceria do estado. O discurso de Camilo foi positivo, pois deixou claro que essa parceria existe e vai se aprofundar.

Dentro desta simbologia da ocasião podia ser vista também a força de Ilário Marques. Enfrentando batalhas em todas as frentes, consegue fazer as escolhas necessárias para não perder o controle do seu projeto político. É, dentro de todo o contexto, e mesmo com o cansaço e o desgaste dos anos, a maior força política individual de Quixadá. Seu nome agrega e estabiliza, exatamente o que boa parte dos seus opositores não consegue fazer. Estes, usando cargos do governo Bolsonaro, como a Funasa, como vitrines para se mostrar, em vez de sucesso, perdem a cada dia mais dos nomes que, antes, foram aliados. Ilário faz política, eles barulho.


Site desenvolvido por Agência Clig