Pré-candidatos em Quixadá desafiam MPE com atividades típicas de campanha fora do prazo.

Tornou-se comum em Quixadá observar pré-candidatos desafiarem o Ministério Público Eleitoral e a Lei ao ousarem em suas atividades políticas típicas de campanha antecipada.

Não é incomum encontrá-los, por exemplo, na companhia de sua militância visitando casas em vários bairros. E isto em plena pandemia. Neste período, pré-candidatos não podem pedir votos diretamente, mas os relatos que chegam ao DQ apontam que esta norma simplesmente tem sido ignorada.

Na última semana, um dos pré-candidatos foi ao ponto de promover um aniversário com a presença de umas 200 pessoas, o que viola os decretos municipais de combate ao coronavírus que proíbem atividades que gerem aglomerações deste porte. Os participantes não fizeram questão de manter discrição e publicaram dezenas de fotos do grande encontro nas redes sociais.

Cada violação do que a lei estabelece para os pleitos eleitorais é uma afronta à democracia, o que demanda atenção e firme atuação dos responsáveis pela defesa da lisura do processo de escolha dos representantes do povo. Mas antes mesmo que as autoridades se vejam na obrigação de agir, cabe a cada cidadão analisar pessoalmente se vale a pena dar sua atenção a pré-candidatos que não respeitam sequer o processo eleitoral e, depois, colaborar para a criação de uma cultura diferente, cobrando e denunciando.


Site desenvolvido por Agência Clig