Pré-candidato mente quando afirma que leitos em Quixadá não tem sido suficientes para pacientes com covid-19.

O médico bolsonarista Ricardo Silveira apareceu, em recente vídeo nas redes sociais, fazendo críticas ao combate ao coronavírus em Quixadá. Ele se declara pré-candidato a prefeito e tem se dedicado a insuflar sua militância contra as medidas sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde do município. Ao fazê-lo, busca desestabilizar os esforços de seus companheiros de profissão que trabalham na prefeitura e, desta forma, prejudicar a administração do seu principal oponente nas urnas.

O Diário de Quixadá analisou as declarações do médico e detectou pelo menos 8 pontos principais em que suas críticas se baseiam. Separamos esses pontos em dois grupos: mentira e distorção.

Nesta matéria, você verá o primeiro deles.

1 – QUIXADÁ NÃO TEM HOSPITAL DE CAMPANHA E OS LEITOS TEM SIDO INSUFICIENTES: Mentira. Aqui são duas mentiras contadas por Ricardo Silveira. Vejamos.

O hospital de campanha montado pelo governo do estado e anexado ao hospital regional também se destina a Quixadá. De fato, atualmente a maioria dos pacientes que fazem uso do equipamento são de Quixadá. Ao afirmar isto, o pré-candidato mostra seu desconhecimento das competências estabelecidas em lei para atendimentos em saúde de alta complexidade, que é do estado e não dos municípios; e que a organização de saúde de alta complexidade no Ceará é regionalizada.

Ao defender a instalação, com recursos próprios, de um hospital de campanha no município, Ricardo Silveira demonstra também sua inexperiência em administração pública. Um hospital de campanha é, basicamente, uma tenda temporária, com refrigeração e leitos que não ficarão no município depois da crise. Sem contar que sua manutenção tem valor elevadíssimo. Nenhum município da região quis adotar tal medida. 

Ilário Marques, por exemplo, preferiu economizar recursos e criar uma estrutura que é menos dispendiosa, tem mais recursos de socorro do que um hospital de campanha e ficará no município depois da crise. Este empenho se reflete na criação da Unidade Covid, que possui respiradores e laboratório próprio, e nas adaptações efetuadas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Hospital Eudásio Barroso.

É importante lembrar que, com estas intervenções, Quixadá aumentou sua oferta de leitos para 40, a mesma quantidade do hospital de campanha do estado.

Isto nos leva à segunda mentira: os leitos em Quixadá tem não apenas sido suficientes para atender à demanda local, mas também já serviram a vários pacientes de municípios vizinhos, inclusive de Quixeramobim.

Todos os que necessitaram de internação e de respiradores, até este momento, tiveram os equipamentos à sua disposição. É claro que, dadas as características da covid-19, que não tem cura em lugar nenhum do mundo, nem sempre foi possível salvar a todos.

Na pré-campanha de 2020, no meio de uma pandemia de natureza extremamente grave, o investimento em informações inverídicas tem sido uma constante por parte do médico que quer ser prefeito. No início da crise ele ofereceu leitos num anexo que teria sido construído por ele na Maternidade de Quixadá. Foi desmentido pelo bispo diocesano, Dom Ângelo Pignoli, que levou a público o fato de que o local apontado por Ricardo nem teto tinha, muito menos leitos para internação.


Site desenvolvido por Agência Clig