Opositores reagem com desprezo, ironia, insultos e até calúnias contra intenção de Ilário de intervir em hospital

Opositores políticos do prefeito de Quixadá, Ilário Marques, estão reagindo com desprezo, ironia, insultos e até calúnias contra a intenção do gestor de realizar uma intervenção emergencial no Hospital Eudásio Barroso.

Uma das principais alegações tem a ver com a história das tais “13 colunas”. Ilário Marques já foi declarado inocente pela Justiça acerca das alegações de desvios de recursos ou qualquer outra irregularidade apontadas na última tentativa de reformar a unidade de saúde. Naquela época, o mandato acabou e seu sucessor não deu continuidade ao projeto. Apesar disso, os opositores de Ilário prosseguem espalhando informações caluniosas sobre o assunto.

Parece que é Ilário que está destinado a intervir no Eudásio Barroso, já que os outros gestores, apoiados pelos atuais opositores de Ilário, NADA fizeram ao longo dos anos para melhorar a situação do hospital. Não apenas abandonaram completamente a estrutura e sucatearam tudo no local, como esqueceram até das coisas básicas.

Tanto durante os anos do João da Sapataria, que tinha o apoio total do médico Ricardo Silveira, como mais recentemente durante o governo interino do vice-prefeito João Paulo, também apoiado por Ricardo Silveira, os pacientes chegaram a passar fome e nem água tinham para beber. Enfermeiros e técnicos é que faziam a limpeza, já que funcionários com salários atrasados foram demitidos ou se recusaram a trabalhar de graça, e vaquinhas para comprar água era o que mantinha a sede sob controle.

O histórico é claro: ao passo que os opositores se especializaram em fazer mangofas, calúnias e a espalhar fake news, e nunca levantaram um dedo em prol do Eudásio Barroso, é Ilário quem está tentando, a cada mandato seu, melhorar o hospital. Isto incomoda.

O empresário Eduardo Aragão foi um que reagiu à intenção da intervenção no Eudásio Barroso com desprezo: “Vai pintar as paredes e inaugurar, é fera.” O comentário, claro, desconsidera que a intervenção planejada contará com o trabalho de engenheiros e urbanistas, assim como de uma quantidade expressiva de outros profissionais.

Comentários irônicos deste tipo, além de não ajudar em nada, desrespeitam todos os envolvidos. Mas Aragão tem sido visto nas reuniões de Ricardo Silveira, que está em campanha eleitoral sete dias por semana, fazendo pequenos comícios a cada poço profundo perfurado com os recursos da Fudação Nacional da Saúde, a qual o médico dirige no Ceará após ter negociado o cargo com o ex-senador Eunício Oliveira. Não é de surpreender.

Para piorar, fazer oposição à base de calúnias, ironias e insultos é uma marca registrada de quem nada mais sabe fazer, de quem não tem seriedade suficiente para governar. Não é à toa que pesquisas vem mostrando que o advogado Sérgio Onofre já supera Ricardo Silveira na preferência popular.

Autor: ÍTALO BETHOVEEN, publicitário editor do DQ.


Site desenvolvido por Agência Clig