Ambulância parada no Centro de Quixadá.

Uma ambulância “deu o prego”, como se costuma dizer, na manhã de segunda-feira, 08, no Centro de Quixadá. Ela ficou parada por quase vinte minutos, enquanto uma pessoa tentava identificar o problema mecânico e corrigi-lo. Não havia paciente sendo transportado no momento do incidente. Alguém que passava por perto tirou o celular do bolso, fez algumas fotos e publicou em grupos de Whastapp. O tipo de coisa que faz a festa de alguns membros da oposição política ao governo municipal.

De fato, não demorou muito para que o episódio aparecesse em veículos noticiosos de propriedade dos dirigentes do PMDB local como um verdadeiro escândalo.

Este tipo de oposição não consegue perceber, mas com esta atitude ela ficou aparecendo “no prego”, ao lado da ambulância velha. Explico.

Quando recebeu a prefeitura, em janeiro de 2017, o atual prefeito encontrou todos – eu disse todos -, os carros da pasta de saúde sucateados. Rapidamente foi montada uma força tarefa para recuperar a frota.

A ambulância que “deu o prego” e fez a festa da oposição, por exemplo, era uma que estava sem pneus, com toda a documentação atrasada, sem várias peças e parada num pátio, entregue ao descaso. Ela recebeu atenção, consertos, foi regularizada e deixada à disposição da Unidade de Pronto Atendimento. “Era melhor colocar ela para funcionar do que deixar parada”, diz Hilário Junior, responsável pelo setor de transportes da secretaria de saúde.

Realmente, aquele veículo fez grande diferença em 2017. Apesar de antiga – ela data ainda da gestão do ex-prefeito Rômulo Carneiro -, trata-se de um veículo importante. Recuperada no início de 2017, só apresentou problemas no início de 2018, naquele momento que a oposição comemorou.

Frota de veículos da saúde recuperada em Quixadá.

Veja: a pasta da saúde tinha, em janeiro de 2017, uma frota em desuso, completamente sucateada, abandonada em um pátio, com peças faltando (só Deus sabe quem as roubou). Dos carros que você vê na foto acima, nenhum estava funcionando. Hoje, porém, a pasta conta com 23 veículos, alguns novos, adquiridos já na atual gestão. Alguém viu a oposição falar sobre o assunto? Claro que não. Mas quando uma ambulância velhinha, que passou o último ano rodando depois de ser consertada, aparece com um problema mecânico, aí o caso vira manchete e é tomado como sinal de descaso com a saúde pública. O que isto indica senão que este tipo de oposição está “no prego”?

“Ambulância dá o prego, mas o prefeito anda de carro blindado”, disparam os demagogos, sem citar que o veículo que o atual prefeito, depois de um ano de gestão, resolveu alugar, é mais barato do que os veículos alugados por ex-prefeitos e que jamais foram alvos de críticas ferinas.

Esquecem, também, de expor que, em relação a 2016, a prefeitura de Quixadá fez em 2017 uma economia de mais de 34% na aquisição de combustíveis e lubrificantes, embora tenha recuperado sua frota e a colocado para funcionar. Os dados comparativos estão à disposição no Tribunal de Contas do Ceará. Como explicar que em 2017, com mais veículos funcionando, a prefeitura tenha gasto menos do que em 2016, quando quase nenhum funcionava? A oposição fala sobre isto? Fala nada! 

A população já identificou que a oposição está “no prego”, torcendo contra o avanço e o aperfeiçoamento da máquina pública, bem como contra o progresso do município. Ela também já identificou que os problemas estão sendo encarados e estão sendo solucionados. Cada um a seu tempo, segundo as possibilidades. Obviamente, prefeitos não usam varinhas de condão, não sabem fazer mágica, estão sujeitos à burocracia e aos limites financeiros. A oposição até poderia ajudar, mas coitada, está “no prego”.

Gooldemberg Saraiva é editor do Diário de Quixadá


Site desenvolvido por Agência Clig