Everardo Silveira Filho

O irmão do médico Ricardo Silveira, que é o diretor da inativa rádio Monólitos em Quixadá, Everardo Silveira Filho, publicou em seu blog, no final do mês de agosto, um ataque contra o mérito profissional de Rachel Marques, esposa do prefeito Ilário Marques.

Atacada gratuitamente

Rachel ao lado do marido, Ilário Marques, e de suas duas netas, Sofia e Maria Cecília.

Rachel Marques é formada em psicologia pela Universidade Federal do Ceará e possui especializações em Educação Infantil, Gestão para Executivos e mestrado em Saúde Pública. Ela é servidora concursada do Estado do Ceará há vinte anos, uma das mais antigas ainda em atuação. Acumulou durante sua trajetória serviços relevantes em diversas repartições públicas e cargos eletivos. Não possui contra si nenhuma condenação, não é denunciada à justiça por nenhuma prática ilícita e divide seu tempo entre o exercício da profissão no Estado, a política e as funções de avó. Na mesma semana em que deixou o mandato de deputada estadual, ela voltou ao exercício da psicologia.

 

No dia 27 de agosto, em pleno Dia Nacional do Psicólogo, Everardo Silveira dirigiu ataques contra Rachel Marques. Ele escolheu a data simbólica para atacar a reputação profissional de uma mulher honrada. Quis mostrar que Rachel ganha um bom salário pelo que faz sem merecer. Não conseguiu.

Em sua matéria, Everardo apresenta vários argumentos que não apontam para nenhuma irregularidade, nenhuma ilegalidade associada ao exercício profissional da psicóloga e sua vinculação aos quadros do serviço público. Sem ter nada concreto para denunciar, Everardo Silveira evidenciou apenas que se ressente do sucesso profissional de Rachel Marques. Não é para menos.

Nada para mostrar

Everardo vem de família rica. Nunca passou dificuldade e arrocho financeiro em sua juventude. Não sabe o que é pobreza, nem fome e nem o sentimento de incerteza sobre o próprio futuro, algo que os jovens de famílias humildes quase sempre carregam consigo. Seu pai, o honrado ex-deputado Everardo Silveira, teve uma trajetória de sucesso na política cearense e deu vida boa para os filhos, algo normal e esperado de um pai. Mas as oportunidades que teve para crescer profissionalmente, Everardo Filho aparentemente não soube aproveitar.

Tentou se formar em economia, não conseguiu. Tentou se formar em advocacia, não conseguiu. Tentou jornalismo, não conseguiu. Foi secretário do prefeito Ilário Marques, quis se tornar seu vice, mas não conseguiu. O cargo mais alto que já teve na vida foi o de presidente do Balneário Cedro Club, mas acabou sendo expulso da função pelos demais sócios, num processo de impeachment que tentou evitar a falência do empreendimento.

Everardo Filho conseguiu levar a rádio Monólitos ao fechamento sob sua direção, atolada em dívidas com órgãos de controle. Hoje dirige a rádio Liderança e faz dela uma espécie de panfleto eleitoral para a campanha permanente do seu irmão à prefeitura de Quixadá, dedicando-se a falar mal todos os dias de Ilário Marques e de seus familiares. Em 2018, nas dependências de um posto de combustíveis, tentou agredir com socos e pontapés o genro do prefeito Ilário, o advogado Neto Dias. Ele estava bêbado e foi contido por populares. O caso foi levado ao conhecimento da Polícia Civil.

Condenado por homicídio, escapou impune

Mas Everardo Filho é mais conhecido em Quixadá por ter matado atropelada a agente comunitária de saúde Maria Joelma Uchôa, em 2005, quando ela tinha apenas 23 anos de idade e estava grávida da sua primeira filhinha, que também morreu em virtude do acidente. Everardo estava bêbado quando atropelou Joelma. Mais tarde ele foi condenado pela Juíza Ana Cláudia Gomes de Melo a quase quatro anos de cadeia pelo crime de homicídio. Conseguiu empurrar o processo nas instâncias superiores da Justiça até que o crime prescrevesse. Escapou impune.

Campanha de ódio e ressentimento

O aparente ódio e o ressentimento de Everardo Silveira Filho por Ilário e sua família talvez ainda apareçam mais claramente nos próximos meses. 2020 será ano de campanha eleitoral e Everardo aposta suas fichas na candidatura do irmão. Vê nele a chance de voltar a colocar as mãos na prefeitura de Quixadá. Há quem defenda que Everardo Filho se afaste da campanha do próprio irmão, por entender que ele mais atrapalha do que ajuda, mas pelo que parece, Ricardo Silveira compactua com seu comportamento e o aprova.

Sem olhar para si mesmo, Everardo usa seu tempo para tentar apagar o brilho profissional de quem ele não gosta, algo que não lhe acrescenta nada de bom na vida, não o inocenta do crime do qual foi condenado e jamais prestou contas ou pediu desculpas, não dá votos ao seu irmão (a derrota de 2016 está aí para provar) e, no fim, só serve para mostrar quem ele mesmo parece ser: um indivíduo sem nenhuma realização profissional relevante e cheio de ressentimento contra uma mulher realizada que conseguiu alcançar os próprios sonhos.

Site desenvolvido por Agência Clig