Em Quixadá, no Sertão Central, existe família de pré-candidato a prefeito utilizando imagens de velório, com gravações do corpo dentro do caixão, com claras finalidades políticas.

A sede de atacar adversários e manipular informações às vezes parece descontrolada.

Nem caixões abertos estão imunes contra a ambição pelo poder. Quando nem o solo sagrado de um velório é respeitado numa disputa eleitoral, já se perdeu todo o senso de ética e de humanidade. Revela também desespero. Isto é muito preocupante. O cheiro da derrota só deveria produzir selvageria em animais irracionais, não em pessoas.

A constatação é tão forte, carrega tanto significado, que não é necessário dizer mais nada.


Site desenvolvido por Agência Clig