Trechos entre Quixadá, Dom Maurício e Custódio serão recuperados.

Parte da oposição ao governador Camilo Santana e seus apoiadores em Quixadá, notadamente o prefeito Ilário Marques, Rachel Marques e Osmar Baquit, entrou em desespero.

Agora dá a entender que o investimento de quase R$ 50 milhões para asfaltamento dos trechos entre a sede de Quixadá e os distritos de Custódio e Dom Maurício será de pouca utilidade.

Revelando seu mergulho profundo na sandice, perguntam que incremento tais obras vão trazer para a cidade. Ora, isto não pode ser questão formulada por uma cabeça em estado de saúde normal.

Será que quem pergunta isto não sabe que, diariamente, cerca de quarenta dos chamados carros de horário fazem trajeto por estas vias? Esta movimentação, por si só, revela o grande potencial econômico que flui por estes trechos.

Opositores de Camilo entraram em parafuso depois do anúncio de investimentos milionários em Quixadá.

Será que quem pergunta isto não sabe que o Residencial Rachel de Queiroz – com suas 1.454 casas -, já foi inaugurado, que já há cerca de cinco mil pessoas morando lá e que este asfaltamento vai beneficiá-las diretamente? Atenção moradores do Rachel de Queiroz! Se dependesse dessa oposição a Camilo Santana, a Ilário, a Rachel e a Osmar, esse asfaltamento não seria tratado como prioridade, afinal, estão perguntando para quê ele vai servir! Que sorte vocês tem de que esta gente não está no poder!

Será que quem pergunta isto não sabe que há mais de uma década o trecho até Dom Maurício (Serra do Estevão) não recebe nenhuma intervenção? Não sabe que aquela é uma área estratégica para o desenvolvimento do turismo no município? Não sabe que ali moram milhares de famílias que sonham com este investimento e que terão a sua qualidade de vida significativamente melhorada por ele?

Revelando atordoamento, esta mesma oposição – apoiada por Eunício Oliveira que, mantendo sob suas vestes este tipo de gente, ninguém sabe como dirá em Quixadá que apoia Camilo -, indaga para que servirá a instalação da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) como fator gerador de emprego e renda na cidade. Novamente digo: uma cabeça saudável não levantaria tal tipo de questão, porque uma coisa não tem nada a ver com a outra. Não se propõe Ciopaer em Quixadá para gerar emprego e renda, mas como medida de estruturação do sistema de segurança do Estado. A argumentação opositora é meramente falaciosa, baseada em pressupostos falsos.

É compreensível, porém, esse desespero todo. Afinal, o BPRaio está aqui; o 9º BPM está ganhando mais 16 viaturas; foi instalada aqui a Delegacia da Mulher; a Base da Ciopaer vai ser inaugurada aqui nesta sexta-feira (06); os recursos na ordem de R$ 5 milhões para revitalização do Centro da cidade já estão assegurados; a ordem de serviço para início do projeto de asfaltamento de ruas Sinalize foi assinada nesta quinta-feira (05); o asfaltamento para Dom Maurício e Custódio deve começar por volta de setembro; Quixadá está discutindo a implantação de duas usinas solares de R$ 300 milhões; vai ser iniciada a discussão para instalação aqui de um Quartel do Corpo de Bombeiros.

Ora, para quem é da torcida do contra, para quem deseja criar um clima de desânimo e de desesperança no município, isto tudo é muito ruim. Porque não é Quixadá que eles põem no topo da ordem de prioridades, mas sim suas ambições políticas cada vez mais difíceis de serem concretizadas.

Resta perguntar: quantos mandatos mais vão ficar repetindo, na solitária posição de opositores raivosos e rancorosos, que esta ou aquela conquista não se deve a Ilário, a Rachel e a Osmar?

EDITORIAL

ESPAÇO PUBLICITÁRIO


Site desenvolvido por Agência Clig