Residencial Rachel de Queiroz, em Quixadá.

Que ninguém se engane: houve quem desejasse muito que as 1.454 famílias contempladas com imóveis no Residencial Rachel de Queiroz, em Quixadá, tivessem invadido o lugar e ocupado as residências irregularmente!

Na verdade, de formas sub-reptícias, houve quem tentasse induzi-los a fazer isto. Áudios de agentes politicamente engajados em Quixadá chegaram a grupos de Whatsapp que reuniam beneficiados inflamando as famílias contra o poder público, sugerindo, disfarçadamente, que talvez o necessário fosse promover uma invasão.

A ideia era gerar uma crise entre as famílias contempladas e o poder executivo municipal e, desta forma, desgastar a imagem do prefeito. Com uma invasão por resolver, com justiça, polícia e tudo o mais, Ilário Marques teria uma batata quente nas mãos a lhe corroer a imagem.

Este, claro, foi um jogo dos mais baixos, especialmente porque utilizou o sonho da casa própria de pessoas humildes para finalidades nada decentes.

Quixadá inteiro testemunhou o esforço enorme que foi feito por certas figuras para atribuir a Ilário Marques a culpa pelo adiamento da data de entrega. Na mente destas figurinhas maldosas, para tudo o que presta no projeto, os méritos passam longe da prefeitura. Para todas as inconveniências, a culpa é do prefeito. Uma lógica intelectualmente desonesta.

A má intenção, porém, foi derrotada pela eficiência e pela inteligência política. Enquanto os cães ladravam, como diz o ditado, a caravana passava. Não contavam com a própria baixa credibilidade e, muito menos ainda, que o prefeito seguiria a sugestão dada tantas vezes com ironia: “Entrega, prefeito! As casas não são suas?”, diziam.

Pois bem, em sendo este o caso, a entrega será feita. A data já está marcada: quarta-feira, 28 de março. Será o dia da felicidade de 1.454 famílias e, também, o dia da derrota da mentira.

EDITORIAL


Site desenvolvido por Agência Clig