Doutor Ricardo Silveira pede votos para o PT

Doutor Ricardo Silveira pede votos para o PT

O médico quixadaense Ricardo Silveira (MDB), derrotado nas eleições municipais de 2016, dificilmente vai poder se apresentar outra vez aos seus conterrâneos como “o novo na política”.

O cardiologista já aderiu há tempos – e só cego não vê -, ao chamado “dinamismo” do jogo.  Tornou-se, na verdade, um verdadeiro camaleão que muda de cor de acordo com o ambiente e conforme suas necessidades.

Qualquer um que analise o histórico recente do médico na política percebe com clareza um padrão de desordem ideológica e de disposição para fazer dos próprios interesses e da busca constante pelo poder os seus fiéis guias.

Doutor Ricardo ajudou a eleger João da Sapataria em 2012. Tendo sido demitido da secretaria de saúde em 2013, tornou-se opositor e voltou a artilharia das mídias de sua família contra o governo João. Depois, em 2016, precisou do apoio do ex-prefeito para tentar se viabilizar como candidato forte à prefeitura e voltou a ser seu aliado.

Naquele ano, se dispôs a abraçar Osmar Baquit, a quem acusava, antes, de ser o pivô de sua demissão na secretaria de saúde em 2013.

Desde então, o médico não consegue firmar parcerias duradouras. Para Deputado Federal apoiou Danilo Forte; depois mudou para Moses Rodrigues e depois mudou para Odorico Monteiro, tudo ao sabor do que lhe parecer politicamente – e sabe-se Deus o que mais -, vantajoso.

Para Deputado Estadual começou a pedir votos para Daniel Oliveira, sobrinho de Eunício Oliveira, o senador que o colocou na superintendência da Funasa do Ceará após a derrota de 2016. Da noite para o dia, porém, Dr. Ricardo abandonou a campanha de Daniel Oliveira e passou a apoiar Salmito Filho. Um acordo entre Salmito e Eunício teria resultado em Eunício “dar Quixadá” a Salmito. No pacote veio o voto do Doutor que, pelo visto, pertence ao senador, assim como o cargo na Funasa. Pelo menos foi esta a versão dada por um vereador próximo do médico.

Nesta terça-feira (11), a imagem do médico que se apresentou em 2016 como o “novo na política” – o “Tum Tum Tum” da renovação e da libertação das velhas práticas envolvendo acordos e conchavos -, chegou ao fim.

Uma foto que circula nas redes sociais mostra Ricardo Silveira apoiando o PT cearense. O adesivo na camisa não deixa margem para dúvida. Ele aparece ao lado de Salmito Filho e abraçado com Camilo Santana, candidato do PT ao governo do Ceará.

A imagem faz evaporar diante dos olhos de quem a olha toda a confiança no compromisso do Doutor com a coerência que ele mesmo apregoava aos quatro cantos possuir.

Ricardo Silveira não tem mais linha política. Não tem mais limites. Perdeu, digamos, a virgindade e inocência e se rendeu à metodologia do sistema. Parece ter aprendido bem com o próprio Eunício, o maior camaleão da floresta política cearense. Não pode mais falar sobre os acordos de Ilário Marques. Não pode mais falar sobre os acordos de Osmar Baquit.

Ricardo Silveira não é mais a opção dos anti-petistas em Quixadá. É, para todos os efeitos, só mais um político amarrado a acordos de pé de ouvido, em busca de votos e de poder.

ESPAÇO PUBLICITÁRIO


Site desenvolvido por Agência Clig