RESGATE UM ANIMAL DAS RUAS!

Quando eu desisti de mim, deitei naquele cantinho e esperei a morte chegar.

Mas, antes de desistir de mim, eu tentei.

Eu corri na tia do churrasquinho e pedi um pedacinho. Tomei uma vassourada.

Antes de desistir de mim, eu tentei deitar na entrada da farmácia, porque já havia andado muito no calor e queria descansar.

Antes de desistir de mim, vi uma moça igualzinha a minha ex-dona e fiz festa pra ela. Levei um chute.

Antes de desistir de mim, achei que tinha feito amigos humanos, mas eles me espancaram.

Antes de desistir de mim, eu tentei pedir socorro na padaria, onde girava um lindo frango assado e meu estômago roncava. Mas fui enxotado. Antes de desistir de mim, eu tentei parecer visível aos transeuntes, mas eles não me viram.

Então, cansado, ferido psicológica e fisicamente – e com muita fome -, eu desisti. Deitei naquele cantinho. Rosnei pra alguns humanos porque tô cansado de sentir dor. Eu tinha medo. Queria partir logo.

Mas então, milagre!, você chegou! 

Ignorou meus rosnados. Entendeu minha dor, respeitou meu espaço. Não sabia pra onde me levar e nem com que dinheiro me ajudaria. Mostrei os dentes e você disse com voz de bebê: “tá tudo bem agora!”. 

Pra mim não! Eu estava cansado! Eu não queria mais lutar. Mas e você? Você me deu banho, enfiou remédio goela abaixo, e me deu injeção. Até ficou acordado comigo. Você me alimentou na seringa e me beijou. Você me fez pensar que eu poderia mudar de ideia.

Sim, você chegou e não partiu. 

Você me resgatou das ruas e de mim. E me deu uma oportunidade de ser feliz. Aliás, você lutou por mim, mais que eu mesmo. O que você viu em mim?

Que olhos são esses que veem o que a humanidade ignora?

Como eu posso agradecer? Só encontro uma opção: da minha maneira, rogar a Deus que lhe dê saúde e que lhe devolva com muita vida e felicidade a salvação que você me proporcionou. 

Você tem olhos de Deus. Obrigado por me enxergar.

(Texto da cuidadora Tatyanne Torres)


Site desenvolvido por Agência Clig