O prefeito Ricardo Silveira em transmissão ao vivo: não decreta lockdown, não reabre a Unidade Covid, suspende consultas ambulatoriais e defende “tratamento precoce”.

Após informar à imprensa que decretaria lockdown por 14 dias, em decisão conjunta entre os integrantes do Consórcio de Saúde do Sertão Central, nesta quinta-feira, 04, o prefeito de Quixadá, o médico Ricardo Silveira, recuou. Apenas algumas horas depois, desistiu do lockdown.

Depois desse vai-e-vem decisório, o político não pode reclamar se as pessoas começarem a questionar seu ‘pulso de gestão’ ou se começarem a pensar que ele está confuso, perdido no enfrentamento ao vírus, sem saber exatamente o que fazer como prefeito. Apesar de sua assessoria escrever o contrário nas redes sociais, as decisões do médico parecem ancoradas no pêndulo da política, não da ciência. Ao desistir do lockdown, satisfez interesses econômicos e empresariais de parte influente do seu eleitorado mais rico.

Segue valendo apenas o decreto anunciado na segunda-feira, 01. Ali, o médico já havia dito que “o lockdown agora não é o ideal”. Saiu em defesa da atividade econômica e proibiu a venda e o consumo de bebidas alcoólicas. Quais técnicos disseram a Ricardo Silveira que o lockdown não é ideal agora? A secretária de Saúde, Benedita Oliveira, defende isso?

A decisão de reabrir a Unidade Covid parece distante do horizonte atual da gestão. Sem um espaço exclusivo para os pacientes com a doença, a solução encontrada pelo prefeito foi suspender os atendimentos ambulatoriais de baixo risco na UPA e no hospital Eudásio Barroso e interromper os atendimentos odontológicos. Ou seja: diminuiu o alcance dos serviços de saúde no município em vez de ampliá-los. Traduzindo: só fiquem doentes quando a pandemia passar. Genial! Por que ninguém pensou nisso antes?

Ainda na segunda-feira, o prefeito também informou que ofertaria “tratamento precoce” aos pacientes diagnosticados com a Covid-19. Eles receberiam um kit com medicamentos em um sistema “drive thru”. Não explicou quais medicamentos fariam parte desse “kit covid” ou quais as bases científicas para tal “tratamento precoce”. Não faz diferença. Quase uma semana depois, nem “drive thru” existe, muito menos “tratamento precoce”. As medidas são, na prática, mero reboliço para as redes sociais. E funciona. Foi assim que ele ganhou as eleições.


Site desenvolvido por Agência Clig