Hospital Regional do Sertão Central.

Alguns candidatos a prefeito nas cidades do Sertão Central revelam profunda ignorância sobre o funcionamento da saúde em seus municípios. Querem administrar o que, evidentemente, nem conhecem direito. Não sendo isso, trata-se de uso do engano mesmo.

De fato, uma das artimanhas mais usadas para tentar obter apoio dos eleitores é o uso de informação falsa. Uma das preferidas é aquela segundo a qual o Hospital Regional do Sertão Central (HRSC) pertenceria apenas a Quixeramobim, seria uma conquista exclusiva daquele município, e não de todos os municípios que compõem a região, como o próprio nome diz. Seria o mesmo que dizer, por exemplo, que a Policlínica Regional localizada em Quixadá pertenceria apenas a Quixadá e não à região, como o nome também diz. É o engano pedindo votos.

Ao afirmarem que é errado os cidadãos precisarem ir para o HRSC para receber os serviços oferecidos naquele equipamento, estes candidatos mostram que não conhecem a divisão de atribuições dos serviços de saúde no SUS e nem o processo de regionalização da saúde no Ceará. É a ignorância pedindo votos.

No SUS, municípios são obrigados a oferecer serviços de saúde básica, enquanto Estados e União, serviços de alta complexidade. Isso é positivo para os municípios, cujo lastro financeiro é significativamente menor do que o dos demais entes federativos.

Assim, propostas mirabolantes, que extrapolam a capacidade orçamentária das prefeituras, devem seu vistas com cautela pelos eleitores. O bom administrador trabalha com elementos da realidade e os pés no chão, não com ilusões e fantasias. A saúde é um tema sensível e que merece ser tratado com respeito e verdade, não com ignorância ou engano. Estes últimos só levam a decepção e caos administrativo, como muitos municípios já viram acontecer.


Site desenvolvido por Agência Clig