O quixadaense Lucas Estacio Maceno foi julgado nesta quinta-feira, 12, pelo crime de homicídio praticado há 10 anos. No dia 28 de março de 2009, nas dependências de um bar na localidade de Várzea da Onça, Zona Rural, ele desferiu sete facadas contra Antônio Eudo Moreira da Silva, que foi socorrido ao hospital Eudásio Barroso, mas não resistiu e morreu.

Quando cometeu o crime, Lucas estava em regime semi-aberto, cumprindo pena de 12 anos pela prática de outro homicídio. Em vez de se recolher à cadeia pública no horário determinado, ele foi a um bar, onde encontrou a vítima. Os dois já tinham um histórico de rixa. Uma confusão iniciada no bar acabou no assassinato de Antônio Eudo.

O juiz, Dr. Wellington Alves de Mesquita, após receber o veredicto de condenação do Tribunal do Júri, determinou uma pena de 15 anos para Lucas. Depois, considerando atenuantes determinadas pelos jurados, reduziu a pena para 10 anos, a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

O réu, porém, não estava presente ao próprio julgamento e sua localização é desconhecida. O promotor, Dr. Naelson Barros, considerou que a ausência de Lucas representava seu desprezo pelo poder judiciário. Agora, Lucas é considerado foragido da justiça e deve ser encarcerado na primeira oportunidade.


Site desenvolvido por Agência Clig