Políticos em Quixadá avaliam trazer de novo para a cidade o boneco inflável “Super Moro”

Diante das graves denúncias do site The Intercept Brasil, do jornalista americano Glenn Grenwald, dando conta de que o ex-juiz Sergio Moro manteve relações promíscuas, imorais e ilegais com o procurador Deltan Dallagnol para condenar o ex-presidente Lula, situação que, agora, pode levar o STF a anular a condenação, políticos em Quixadá se movimentam para defender seu “herói” anti-petista.

Setores de oposição ao PT local estudam trazer de volta à cidade o boneco inflável chamado “Super Moro”. O boneco esteve em Quixadá pela última vez no dia 30 de agosto de 2017, quando Lula visitou o município em sua caravana pelo Nordeste. Naquela ocasião, o “Super Moro” foi instalado em praça pública, com apoio de pessoas ligadas ao médico Ricardo Silveira, ex-PMDB, hoje sem partido. Um grupo de índios que queriam encontrar Lula acabou esfaqueando o boneco, que secou e foi retirado da praça com muita confusão.

No domingo, 26 de maio, outro boneco, só que de papelão, teve destaque em Quixadá.

No domingo, 26 de maio, outro boneco, só que de papelão, teve destaque em Quixadá. Cerca de 12 pessoas aderiram à manifestação de apoio a Bolsonaro colocando o boneco do presidente na Praça José de Barros. Não é possível dizer se o boneco de papelão de Bolsonaro vai se encontrar com o boneco inflável do Moro em manifestações futuras.


Site desenvolvido por Agência Clig