Incêndio criminoso dentro de prédio público em Quixadá pode não ter relação com ataques de facções

O incêndio criminoso que deixou uma sala do Centro de Referência da Assistência Social – CRAS, em Quixadá, parcialmente destruída, na madrugada desta terça-feira, 08, pode não ter relação com os ataques de facções no Ceará.

Nos ataques que estão acontecendo no estado, a característica principal é o uso de ações incendiárias visando unicamente destruição. No CRAS de Quixadá, porém, houve furto de objetos de valor, tais como uma central de ar, um botijão de gás e aparelhos de informática, além de alimentos como carnes, salsichas e outros. O caso, portanto, pode ter sido apenas de invasão e furto, ação seguida pela maldade do incêndio que causou mais prejuízo.

Também não é verdade que o inteiro prédio tenha sido destruído. O fogo atingiu apenas uma única sala e foi controlado pelos próprios policiais.

Ainda é cedo para afirmar que o crime está relacionado com a onda de ataques no Ceará. Somente após uma investigação, e em especial após a captura dos autores do crime, será possível chegar a uma conclusão.

Nesta segunda-feira, 07, dois menores – de 15 e 17 anos -, que haviam tentado atear fogo a uma viatura da PM no domingo foram apreendidos. O mandante da ação é um presidiário que já foi identificado pela Polícia Civil.  

Também nesta segunda-feira, o Comandante da PM no Sertão Central, Coronel Vidal, tranquilizou a população. “Nosso efetivo está reforçado. A Polícia está presente”, disse. A fala veio depois que o comércio na região reagiu a boatos atribuídos às facções criminosas fechando as portas mais cedo. 


Site desenvolvido por Agência Clig