O Açude foi construído depois de pedido de Dom Pedro II em 1877. (Foto: Jândreson Gomes)

Ilário Marques cobrou do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) um projeto para requalificação do espaço, com vistas a torná-lo um poderoso atrativo turístico cearense. O DNOCS é o órgão responsável pelo açude centenário. “A gente só pode falar em liberação de recursos quando tivermos um projeto”, pontuou o chefe do executivo quixadaense.

Os recursos dos quais Ilário falou, a quantia de R$ 1,4 milhão, estão contingenciados pelo Ministério da Economia, chefiado por Paulo Guedes.

Ilário Marques cobra do DNOCS projeto para requalificar Açude Cedro e torná-lo equipamento turístico.

O diretor geral do DNOCS, Angelo Guerra, afirmou que o edital para contratação do projeto de segurança e projeto  de recuperação e revitalização do patrimônio histórico, orçado em R$ 1,4 milhão, já está pronto. Segundo ele, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, é favorável ao projeto, mas também esbarra no contingenciamento do governo Bolsonaro.

Os órgãos federais acordaram fortalecer o diálogo, junto com a prefeitura, para viabilizar a preservação do patrimônio histórico do Açude Cedro.

Plano emergencial

Orçado em quase R$ 300 mil, um plano emergencial deve ter ordem para iniciar os trabalhos em até 45 dias. Neste plano emergencial estão previstos a recuperação de passarelas; revisão geral na fixação dos balaústres e execução de quatro balaústres novos; sinalização de pisos, revisão de grades, placas de sinalização, iluminação, construção de banheiros públicos e de um escritório local de administração do açude.


Site desenvolvido por Agência Clig