Idosa denuncia que recebeu promessa de R$ 300 para autorizar vídeo em sua casa atacando Ilário Marques.

A exploração da imagem de um homem doente, fragilizado por um AVC e mentalmente debilitado, por parte de militantes da candidata Kartinha (PSD), chamou atenção de internautas em Quixadá nesta quinta-feira (15).

Após o caso ter sido publicado pelo DQ, um áudio atribuído à esposa do homem que teve sua imagem explorada, e cujos nomes serão preservados aqui, se tornou público. Escute no final desta matéria.

No áudio, a senhora faz uma denúncia gravíssima: teria recebido proposta de R$ 300 para autorizar a gravação de um vídeo no qual a militante ataca Ilário Marques e mostra o homem acamado, explorando sua fragilidade enquanto entrega a ele um adesivo da candidata e do médico Ricardo Silveira (PSD).

As alegações da militante, identificada como Valéria Brasil, foram desmentidas uma a uma pela filha do homem doente em manifestação que também se tornou pública. Em pouco tempo, Valéria Brasil apagou das redes sociais o vídeo do homem acamado.

Mas o áudio revela o que parece ser exploração da inocência da senhora idosa. Aos prantos, ela conta: “Eu nunca mais deixo ninguém entrar aqui, principalmente para fazer política, porque eu prejudiquei as pessoas sem querer prejudicar. A infeliz da mulher não perguntou nem se ele estava sendo assistido por agente de saúde. Eu prejudiquei a agente de saúde tão boa pra mim, tão boa, e eu prejudiquei ela. Mas eu já pedi desculpa a ela. Eu fiquei empolgada porque ela disse que ia me ajudar, que ia me dar trezentos reais. Aí eu fiquei empolgada, sabe. Deus sabe que não foi minha intenção prejudicar as pessoas.” 

A senhora não diz se foi a militante ou a própria candidata que prometeu o valor de R$ 300, ou se a militante tinha autorização da candidata para fazer a oferta. A candidata Kartinha, até a publicação desta matéria, não havia se pronunciado sobre o caso.

[ATUALIZAÇÃO]: Após pedido de familiares da idosa, retiramos a reprodução do áudio que havíamos, num primeiro momento, publicado aqui. Mantemos, porém, a transcrição, uma vez que possuímos a cópia do arquivo para prova a qualquer momento. 


Site desenvolvido por Agência Clig