‘Enganaram minha mãe e usaram a imagem do meu pai doente para falar mal da gestão’, desabafa filha indignada.

O relato a seguir é chocante, causa indignação e foi feito por uma filha na página do Diário de Quixadá no Instagram. A história mostra o tipo de uso cruel que alguns candidatos são capazes de fazer da imagem de pessoas fragilizadas na busca de votos.

Nety Sales conta que militantes políticos da candidata Kartinha (PSD) usaram a imagem de seu pai doente, fragilizado por um AVC e mentalmente debilitado, para promover o nome da candidata e falar mal da gestão de Ilário Marques em Quixadá. Diz também que enganaram sua mãe, uma senhora de idade, prometendo exames, cadeira de rodas e remédios, em troca do uso da imagem do seu pai acamado.

Nety se refere a um vídeo publicado por uma mulher de nome Valeria Brasil que, em tom de voz teatral, mostra o senhor Aristeu deitado numa cama. “Tá com três anos que o Aristeu vive aqui em cima dessa cama abandonado pela saúde aqui do Quixadá. Prefeito, onde é que você tá que você não vê essas coisas? Será que você não tem coração não? Nunca veio uma agente de saúde aqui. Isso é um descaso”, diz Valeria no video, enquanto outro militante entrega um adesivo com o número da candidata Kartinha e do candidato Ricardo Silveira (PSD) ao homem doente. A cena é impactante. Veja o vídeo e em seguida o que diz a filha do homem doente.

Mas o que a filha do senhor Aristeu tem a dizer sobre as alegações de Valeria Brasil?

“Meu pai tem toda a assistência no que diz respeito a saúde, teve fisioterapeutas, já realizou vários exames e consultas pelo sus, o que é direito dele”, diz Nety. “Minha mãe também teve toda assistência necessária quando pegou covid”, acrescenta.

Nety ainda desmente a alegação de que nunca uma agente de saúde visitou seu pai. “Diferente do que eles disseram no vídeo, ela sempre vai a casa de minha mãe”, conta.

‘Enganaram minha mãe e usaram a imagem do meu pai doente para falar mal da gestão’, desabafa filha indignada.

A filha ainda relata que a única vez que precisou pagar a um médico foi justamente ao Doutor Ricardo Silveira. “Ele teve a coragem de dizer que meu pai só precisava ir pro hospital de Messejana em Fortaleza, sequer falou o que meu pai tinha e recebeu muito bem os seus R$ 200,00 pela consulta de 3 minutos”, revela Nety. Ela finaliza dizendo: “Vergonha dessa oposição.”

O relato de Nety chocou muitos internautas, que manifestaram solidariedade e tristeza pelo uso cruel e com fins eleitorais da imagem de um senhor doente que, sim, recebe assistência valiosa do SUS, não de clínicas particulares.


Site desenvolvido por Agência Clig