José Massiano Ribeiro, condenado por matar três policiais militares em Quixadá em 2016.

José Massiano Ribeiro, acusado de matar três policiais militares em Quixadá, acaba de ser condenado a uma pena de 123 anos de prisão pela 3ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza. Em 30 de junho de 2016 ele participou na ação criminosa que resultou nas mortes dos policiais Francisco Guanabara Filho, Antônio Lopes Miranda Filho e Antônio Joel de Oliveira Pinto, crime de enorme repercussão.

Em relação aos três homicídios, os jurados decidiram “reconhecer a materialidade do fato, afirmar a autoria delitiva, não absolver o acusado, admitir que o réu agiu com o objetivo de assegurar a execução, ocultação, impunidade ou vantagem de outro crime, e afirmar que o réu agiu contra policial militar no exercício de suas funções.”

José Massiano também foi julgado pelos crimes de homicídio tentado contra outros cinco policiais militares; sequestro, roubo, adulteração de sinal identificado de veículo automotor e organização criminosa.

As penas foram aplicadas pela Juíza Daniela Lima da Rocha da seguinte forma:

– 17 anos e 3 meses de reclusão para cada homicídio consumado;
– 10 anos e 1 mês de reclusão para cada uma das quatro tentativas de homicídio;
– 2 anos para o crime de sequestro;
– 5 anos e 4 meses de reclusão para o crime de roubo de veículos;
– 3 anos de reclusão para o crime de adulteração de sinal identificado de veículo automotor;
– 4 anos de reclusão pelo crime de integrar organização criminosa.

A soma total das penas, consideradas diversas regras processuais explicadas na sentença, foi fixada em 123 anos e 4 meses de reclusão, a ser executada inicialmente em regime fechado. José Massiano já estava preso desde 28 de maio de 2019.

ESPAÇO PUBLICITÁRIO.


Site desenvolvido por Agência Clig