Após 17 anos, acusados de homicídio em Quixadá são declarados inocentes

Francisco Wagner Sousa Silva e Francisco Silva Brasilino, acusados, respectivamente, de executar e de ser o mandante da execução de Francisco Ronaldo Mendes de Oliveira, crime ocorrido na madrugada de 14 de abril de 2002, na localidade de Serrote Branco, Distrito de Daniel de Queiroz, em Quixadá, foram declarados inocentes das acusações que já pesavam contra os dois há 17 anos.

O julgamento aconteceu nesta terça-feira, 12, sob a presidência do juiz Wellington Alves de Mesquita, e foi decidido pelo tribunal do júri, após manifestações do Ministério Público, na acusação, e dos advogados de defesa.

Os jurados reconheceram a existência do crime de homicídio, mas não entenderam haver provas suficientes para atribuir culpa de autoria aos acusados. O Ministério Público decidiu não recorrer da decisão e o processo foi arquivado.


Site desenvolvido por Agência Clig