Cerca de 12 alunos da Soka University estarão Quixadá entres os dias 15 a 21 de janeiro.

O trabalho realizado pela prefeitura de Quixadá no arquivo municipal chamou atenção de estudantes da Soka University Of America, instituição de ensino localizada no estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

Nesta semana, o departamento de estudos latino-americanos e a direção de estudos internacionais da universidade entrou em contato com a prefeitura de Quixadá, solicitando acesso aos arquivos da cidade.

A estudante Caroline Yumi Hasheda escreveu: “Vimos que a prefeitura de Quixadá fez um ótimo trabalho em revitalizar o arquivo municipal nos anos de 2017 a 2019. Gostaríamos de ter acesso a estes documentos da história de Quixadá. O arquivo municipal e pessoas que trabalham nele ajudariam a expandir nossa pesquisa.”

Cerca de 12 alunos da Soka University estarão Quixadá entres os dias 15 a 21 de janeiro e, claro, receberam permissão da prefeitura para explorar o arquivo municipal.

Revitalização do arquivo

O respeito à própria história, mostrado através da conservação de memórias, é um aspecto importante das sociedades com forte senso de identidade.

Arquivo municipal foi revitalizado nos últimos três anos.

Nos anos de 2013 a 2016, porém, o TRATAMENTO CRIMINOSO dispensado a documentos públicos com mais de cem anos de idade, amontoados feito lixo em salas escuras e úmidas, entregues ao descaso e à destruição, foi praticado sem limite algum pelos gestores da prefeitura.

Papéis datados do início do século XX foram encontrados durante uma operação de reorganização do arquivo municipal. O absurdo deixou historiadores perplexos.

Arquivo municipal foi revitalizado nos últimos três anos.

Além de documentos históricos, livros, fotografias e outra farta leva de materiais de interesse público, tais como registros importantes acerca do funcionalismo quixadaense, também estavam entregues para serem consumidos pelo tempo, feito lixo sem destinação. Um crime, sem dúvidas, contra a memória de Quixadá.

Durante os últimos três anos, a prefeitura realizou a revitalização do arquivo, organizando-o por categorias, separando documentos de interesse dos servidores e salvando dados de relevância para pesquisadores das mais diversas áreas da ciência. Os papéis históricos serão digitalizados e armazenados com segurança para posterior consulta.

Erinalda Martins, que coordenou parte do trabalho de recuperação do arquivo, disse ao Diário de Quixadá: “Muitas pastas de servidores foram extraviadas. Eles terão dificuldades para comprovar seu tempo de serviço. Registramos tudo com fotos e vídeos e acionamos a justiça para que os responsáveis sejam punidos.”

O arquivo municipal continua no mesmo local, no prédio da antiga Oficina do Forró, na Rua Juscelino Kubitschek, no Alto São Francisco.


Site desenvolvido por Agência Clig