Mais de 40 mil multas foram aplicadas no primeiro semestre deste ano por não uso dos faróis nas rodovias federais que cortam o Ceará, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O número de autuações subiu 81% neste ano, se comparado com o último semestre de 2016.

A lei que obriga o uso do farol durante o dia foi sancionada em julho de 2016, passou mais de um mês suspensa e voltou a valer em outubro do mesmo ano. A fiscalização também ocorre em perímetros urbanos fiscalizados pelo Detran, como a Avenida Washington Soares, que é a estrada estadual CE-040, e a continuação da Avenida Mister Hull, a BR-222, ambos os trechos em Fortaleza.

De acordo com a PRF, 41.852 autuações por não uso do farol foram registradas de janeiro a junho deste ano. Entre julho e dezembro de 2017 foram 23.076 multas. O número subiu 81%. O descumprimento da lei é considerado infração média, com 4 pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 130,16.

Segundo o chefe de policiamento da PRF, Ricardo Araújo, os faróis acessos durante o dia ajudam a reduzir os casos de acidentes com mortes. No primeiro semestre deste ano, a Polícia Rodoviária registrou 65 mortes nas rodovias federais. Nos últimos seis meses de 2016 foram 125 vítimas- uma diferença de 48%.

“Os estudos demonstram que no Ceará o uso do farol está ligado diretamente a duas situações: atropelamento e colisão frontal. Com o uso do farol, os pedestres podem visualizar com maior brevidade o veículo se aproximando na rodovia. Assim como também o motorista pode ver o outro veículo se aproximando em uma via rural”, falou o chefe de policiamento da PRF.

Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o uso do farol é válida para qualquer tipo de rodovia, incluindo as que passam por trechos urbanos e também em túneis com iluminação pública.


Site desenvolvido por Agência Clig