João Hudson, ex-prefeito de Quixadá.

A edição impressa desta terça-feira, 24, do jornal O Povo traz matéria afirmando que o ex-prefeito de Quixadá, João Hudson, conhecido como João da Sapataria, teria ligações com um grupo criminoso que atua na região. O ex-prefeito “teria desviado dinheiro” para favorecer a quadrilha, diz o jornal.

A reportagem, assinada pela jornalista Jéssika Sisnando, fundamenta-se em informações dadas pela titular da delegacia de Quixadá, delegada Ana Cláudia Nery, responsável pela investigação do assassinato de três PM’s neste município. O inquérito foi concluído e remetido à Justiça na última sexta-feira, 20.

“O inquérito tem 368 páginas e indicia 12 pessoas. Seis por triplo homicídio dos policiais, tentativa de homicídio, dois sequestros, roubo e associação criminosa e as outras seis por associação criminosa. Segundo a delegada, testemunhas chegaram a reconhecer envolvidos nas mortes dos policiais. Uma delas está no serviço de proteção à testemunha”, revela Jéssika Sisnando.

Ainda segundo a matéria do jornal O Povo, malas contendo documentos ligando a administração pública, sob comando de João da Sapataria, ao crime organizado no Sertão Central, foram encontradas escondidas numa casa na Zona Rural de Quixadá. Teria sido a partir da investigação que se seguiu que o ex-prefeito acabou afastado do cargo.

Em resposta, João Hudson divulgou a seguinte nota:

Amigos quixadaenses,

Fui surpreendido nesta terça-feira (24) com a matéria publicada pelo Jornal O Povo, onde a Delegada Regional de Polícia Civil, Sra. Ana Claudia Nery faz uma série de graves e levianas acusações contra minha pessoa. Esclareço os seguintes fatos:

– O Prefeito não tem a prerrogativa de impedir a participação de empresas em certames licitatórios.
– Diferentemente da afirmação da Delegada, o meu afastamento se deu por suposto descumprimento de ordem judicial, fato ainda sob análise do Poder Judiciário.
– É risível a afirmação de que tive minha campanha para Prefeito ainda no ano de 2012, teria sido financiada por pessoas envolvidas com a criminalidade.
– Reafirmo que não tenho qualquer tipo de amizade pessoal com transgressores da lei.

Lamentavelmente a nobre Delegada certamente por não conseguir prender os assassinos dos policiais militares e por ainda não desvendar uma série de crimes ocorridos em nossa região, antes e depois do fatídico episódio de Juatama, busca criar factoides, e por sua infeliz atitude responderá civil e criminalmente

Esclareço que, se tivesse a nobre Delegada o cuidado de investigar com isenção verificaria até com certa facilidade quais os políticos de Quixadá, que de fato tem envolvimento com o crime organizado.

No mais, me ponho a inteira disposição da imprensa ou de quem quer que seja para maiores esclarecimentos, e reafirmo que aqueles que me acusaram criminosamente por um fato que não tenho qualquer tipo de participação, responderão civil e criminalmente.

Confio em Deus, e tenho a plena convicção que a justiça será feita, e que os verdadeiros culpados por tamanha barbárie serão devidamente responsabilizados por seus atos.

Att:

João Hudson Rodrigues Bezerra.

 

Site desenvolvido por Agência Clig