Deputado cearense quer criar Secretaria Especial de Desesquerdização para afastar “infiltrados”

Esqueça um governo que prioriza a técnica em vez do viés ideológico. Isto era apenas discurso de campanha. O que os adoradores de Bolsonaro querem mesmo é um governo sem pluralismo e a construção de um Estado que não ofereça espaço nenhum para quem pensa diferente da turma de extrema direita que está no poder.

Veja, por exemplo, esta ideia, destinada obviamente a agradar as milícias bolsonaristas nas redes sociais, entupidas de ódio e ranço pela democracia e pelo respeito à diversidade de pensamento e pluralismo político: O deputado federal Heitor Freire, presidente estadual do PSL, deu entrada em um projeto que promete muita polêmica: quer criar a Secretaria Especial de Desesquerdização da Administração Pública. O projeto, de nº 188/209, entrou no protocolo da Câmara na última quarta-feira.

Heitor Freire explica que esse novo órgão terá por objetivo afastar da gestão de Jairo Bolsonaro os “infiltrados da esquerda”, que continuam no governo e operam, em cargos de confiança, atrapalhando o governo.

“Tem muitos em cargos comissionados se fazendo de direita para minar a gestão. Essa secretaria quer identificar esses agentes esquerdistas infiltrados e apresentar ao presidente da República para ele avaliar como proceder”, adianta Freire.

Para o parlamentar, o governo de Bolsonaro vem sendo “muito atacado” por fake news e pelo que chama de a “extrema imprensa”, no que esses agentes infiltrados precisarão ser identificados para evitar boicotes.


Site desenvolvido por Agência Clig