Michel Temer

O teto de gastos públicos imposto pelo governo Temer – com aprovação de deputados e senadores que lhe deram apoio -, depois do impedimento de Dilma em 2016, está se mostrando desastroso.

Estudo realizado pela pesquisadora Vilma Pinto, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), indica que o cumprimento do teto exigirá que as despesas discricionárias –aquelas que não são obrigatórias – sejam cortadas de R$ 126 bilhões neste ano para algo em torno de R$ 100 bilhões em 2019.

No entanto, o valor mínimo para o funcionamento da máquina é de cerca de R$ 120 bilhões, avalia Manoel Pires, também pesquisador do Ibre e ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, em reportagem de Ana Conceição, Estevão Taiar e Sergio Lamucci, do Valor Econômico.

Neste cenário, a perspectiva é que até contas como água e luz das repartições federais deixem de ser pagas.

Quem foram, afinal de contas, os onze Deputados Federais do Ceará que ajudaram Temer a aprovar a famigerada Emenda Constitucional 95? Quem são os deputados do “arrocho”, por assim dizer?

Relacionamos abaixo os parlamentares cearenses que disseram sim para o congelamento de investimentos, principalmente na saúde e na educação do país, pelos próximos 20 anos, conforme levantamento feito pelo respeitado site Congresso em Foco. Confira.

Adail Carneiro – PP

Aníbal Gomes – PMDB

Danilo Forte – PSB

Domingos Neto – PSD

Gorete Pereira – PR

Cabo Sabino – PR

Macedo – PP

Moses Rodrigues – PMDB

Raimundo Gomes de Matos – PSDB

Ronaldo Martins – PRB

Vítor Valim – PMDB

ESPAÇO PUBLICITÁRIO


Site desenvolvido por Agência Clig