Brasil pode usar aparelhos veterinários para tratar humanos afetados pelo coronavírus.

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) criou um cadastro nacional de equipamentos veterinários que possam ser usados no combate ao coronavírus.

A base reúne informações sobre três equipamentos até agora: ventiladores mecânicos, monitores multiparamétricos e concentradores de oxigênio.

“A parte [desses aparelhos] que se liga ao ao paciente pode ser trocada. No monitor, por exemplo, a parte dos eletrodos para cachorros é um tipo, para pessoas, outro. A parte que pode ser emprestada não tem contato direto com o paciente”, explica Fernando Zacchi, médico-veterinário e assessor técnico do CFMV.

Por isso, os equipamentos podem ser disponibilizados durante a pandemia, desde que cumpram os requisitos das autoridades sanitárias de higienização antes de entrar em um ambiente hospitalar.

O levantamento, que começou na sexta-feira (20), tem cerca de 90 estabelecimentos e 200 equipamentos cadastrados.

O CFMV tem mais de 21 mil clínicas e 800 hospitais registrados pelo país. Estima-se que possam a ser identificados pelo cadastro de 20 a 30 mil equipamentos que serviriam de auxílio aos hospitais durante a pandemia, segundo Rodrigo Rabelo, médico-veterinário da Associação Brasileira de Medicina Veterinária Intensiva (Bveccs).

“Nos Estados Unidos e em Portugal, a aderência foi alta a esse tipo de campanha”, diz Rabelo. “Nós estamos tentando nos antecipar com esse cadastro”.

A proposta é que a base criada seja colocada à disposição dos órgãos de saúde quando os hospitais precisarem de mais aparelhos. A ação é feita pela Bveccs e pela Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa).

O formulário para os veterinários que querem se cadastrar está disponível em http://www.123formbuilder.com/form-5347973/form.


Site desenvolvido por Agência Clig